Educação tem que tomar jeito no Brasil

Thumb Educação tem que tomar jeito no Brasil

Educação tem que tomar jeito

Enquanto países desenvolvidos comprovam continuamente que educação é o segredo já tão revelado para esse desenvolvimento, o Brasil continua na rota do atraso e se coloca na lista dos países com sistema de ensino mais ultrapassado do globo.

Finlândia está em primeiro lugar entre os melhores em educação no mundo, com um sistema de ensino para toda a população, independentemente de faixa social, precisamente após modernizar as escolas e preparar seus professores. A pedagogia é baseada em pesquisa e no incentivo à leitura. Livros didáticos e refeição são fornecidos gratuitamente pelo Estado e até mesmo o design dos prédios e das salas de aula foi modernizado para tornar os ambientes mais agradáveis.

Toda a realidade mudou

Mas nem sempre foi assim. A Finlândia já se destacou por um ranking nada positivo entre os países líderes em suicídio. Talvez  (ou certamente) a mudança se tornou possível, com a queda desses índices negativos, pela evidência de que as crianças têm que se sentir felizes tanto na escola como fora dela.

Educação tem que tomar jeito no Brasil

Por isso mesmo, não são obrigadas a fazer deveres de casa, pois a prioridade é que tenham tempo para brincar e descobrir coisas novas, como os insetos que descobrem ao subir em árvores e que podem se transformar em novo material para aprendizagem.

Mas nas escolas meninos e meninas sentem-se felizes durante todo o tempo em que lá permanecem, com o incentivo ao saber e técnicas que as levam a apreciar o gosto pelos estudos.

Evidentemente são inúmeros os países desenvolvidos que se destacam por um excelente sistema educacional, entre eles Japão, Coreia do Sul e, na América do Sul, o Chile, que hoje se coloca entre os países onde a violência é uma das mais baixas do mundo.

Até quando???

Porque educação tem influência em todos os setores. E o progresso não poderia ficar de fora. Não apenas o progresso econômico, como também o tecnológico e o humano.

Após décadas de um período obscurantista que leva até mesmo os jovens a negar a existência da ditadura e, pior, a pedir muitas vezes o retorno dela, o brasileiro atrofiou o seu modo de pensar.

aluno ruim

Desconhecedor do seu próprio idioma, o brasileiro padece de analfabetismo funcional que o leva a não saber interpretar os mais simples textos. E quanto a escrever, estão aí, a vista de todos, os seguidos vexames nos exames do Enem que já entraram até para o anedotário, tais os disparates cometidos.

Trata-se de um panorama desalentador, reforçado por uma classe política irresponsável e por segmentos da população que se mostram inconscientes de sua própria ignorância.

Não há como escapar. Nenhuma nação se torna grandiosa sem educação. E educação que abranja toda a população, sem limitar-se às camadas privilegiadas.

Se o Brasil começar hoje a cuidar da sua educação ainda terá um grande caminho a percorrer.

Mas o pior é que nem começou. E nem dá mostras de quando irá começar.

Envie seu comentário:

Você também pode gostar: