O Brasil e o mundo estão ricos. Não aceite ser pobre

Thumb O Brasil e o mundo estão ricos. Não aceite ser pobre

O Brasil e o mundo estão ricosComo anda o Brasil no ranking dos países que detêm maior número de multimilionários? Muito bem, obrigado.

Segundo o relatório da consultoria New World Wealth, da África do Sul, o Brasil figurava, em 2014, em décimo lugar no mundo com maior número de multimilionários.

Você haverá de argumentar que esses dados são de 2014, que hoje o país está em crise e que o brasileiro está endividado.

Mas, veja bem: não estamos falando da situação da população em geral. Estamos nos referindo à parcela mais rica. E essa concentração de renda, com o tempo, só tende a se agravar. Ricos cada vez mais ricos. Pobres cada vez mais pobres. Isso não é socialismo, é realidade.

Renda concentrada e contradições

Se formos levar em conta que há mais de 190 países no globo terrestre, a posição é muito boa, não concorda?

Lógico que isso depende do ângulo em que se encara essa situação.Não aceite ser pobre e busque o melhor

Nosso blog não faz apologia da pobreza. Mas o equilíbrio na sociedade se dá em razão de melhor distribuição de renda. E isso não é papo de comunista, como muitos poderão apontar. Em pleno ano de 2019, quando este artigo está sendo publicado após revisão, muitos capitalistas já começam a admitir que essa excessiva concentração de renda não faz tanto bem assim para o próprio capitalismo como muitos imaginam.

A título de esclarecimento, é bom explicar também que esse número de países varia em razão dos critérios adotados. A ONU (Organização das Nações Unidas) diz que são 192, sem considerar Taiwan, cuja independência não é reconhecida pela China, e Vaticano, sede da Igreja Católica, que é classificado como observador permanente da entidade internacional.

A ONU não inclui na lista possessões e territórios, como é o caso da Groenlândia, considerada território da Dinamarca, que, evidentemente, está na lista de países reconhecidos.

Números mudam. Contrastes se agravam

Se não forem levados em conta alguns critérios da ONU – exigência de fronteiras definidas, soberania nacional e sustentação econômica – esse número pode chegar a bem mais: a ISO 3166-1 contabiliza nada menos do que 246 países. Isso torna a posição do Brasil como décimo em número de multimilionários ainda mais destacada.

O relatório da New World Wealth diz que havia no Brasil (novamente conforme dados de 2014) 10,3 mil multimilionários. Desses, 4,4 mil estão em São Paulo e 2,2 mil no Rio de Janeiro. São Paulo está em 17º lugar entre as cidades do mundo que concentram mais riquezas superiores a 10 milhões de dólares, e o Rio está na 27ª posição, pelo mesmo critério. No pobre continente chamado América Latina, os milionários concentravam uma riqueza de US$ 25 trilhões em 2013. Isso representa um aumento de 66,5% em relação aos números registrados em 2009.

Está certo: você haverá de argumentar que o blog tem a obrigação de atualizar esses números. Mas, veja bem: o importante aqui é demonstrar as disparidades. Podemos até, em artigos posteriores, fazer essa atualização. Mas você perceberá que, se houve alguma mudança, proporcionalmente ela não será muito significativa. E o mais provável é perceber que a situação piorou em termos de distribuição de renda. Porque essa é uma tendência dos últimos anos. Basta ler a comparação citada, no parágrafo anterior, entre os anos de 2009 e 2013.

Dinheiro e pobreza de sobra

O que fica evidente é que dinheiro existe de sobra. O que falta é distribuição de renda e combate às desigualdades sociais.

Por essas e outras razões é que nosso blog defende a posição bem clara de que todos os seres humanos têm direito à riqueza.Dinheiro e pobreza

A distribuição de renda não ocorre por inúmeras razões. Vamos citar algumas delas:

  • *As classes privilegiadas não querem, e impõem vários obstáculos;
  • *os governos não estão dispostos a enfrentar os interesses dos poderosos;
  • *os pobres são manipulados para permanecerem na situação em que se encontram, de várias formas, incluindo o paternalismo de Estado;
  • *os movimentos sociais são massacrados diante de qualquer impulso reivindicatório.

Mas há ainda, entre outras, três razões fortes: 1) As pessoas não têm conhecimento dos fundamentos econômicos que propiciariam melhorias em sua situação financeira; 2) ou não acreditam que isso é possível; 3) ou não tomam iniciativas nessa direção. Tudo isso também por várias razões.

Descubra o seu talento

A falta de oportunidades efetivas, que se traduz em dificuldades e obstáculos impostos aos mais pobres, é fator que se soma à falta de conhecimento e de iniciativa entre os menos favorecidos. Todas essas circunstâncias estão entre as razões mais fortes para perpetuar situações financeiras que levam as pessoas a não alcançarem sucesso na vida, muito menos riqueza e menos ainda fortuna. Enquanto isso, os pobres jogam nas loterias. E acabam perdendo mais dinheiro…

É preciso ter um mínimo de formação para entender que o foco nas coisas precisa ser observado. Uma boa forma de começar é descobrir algo que você faça muito bem, melhor do que a média das pessoas, e passar a se dedicar a isso.

Costumamos narrar a seguinte fábula para ilustrar essa questão: Um menino chegou para o pai e lhe disse: “Pai, quero ser sapateiro”. O pai lhe respondeu: “Então seja sapateiro, meu filho. Mas seja o melhor sapateiro do mundo”.

Moral da história: mesmo uma ocupação modesta pode ajudar, desde que você se empenhe em ser o melhor.

Objetivo e método

Busque sempre esse objetivo de ser o melhor. Mas, para isso, é preciso escolher um método. Sem método não se chega a objetivo nenhum. Busque o método e Busque ser o melhorseja fiel a ele, criando rotinas que o mantenham em seu objetivo. E siga essas rotinas sem esmorecer. Estabeleça um prazo para atingir os objetivos. Se for preciso trabalhar duas horas por dia em determinado projeto, alternando-as com as horas de sua ocupação atual para sobreviver, faça isso. Vai lhe parecer extenuante, e certamente será. Mas, quanto mais você fizer por você, sem depender do Estado, melhor.

Procure sempre aperfeiçoar sua rotina, seu método. Se perceber que algo não está dando certo ou não vem produzindo os resultados esperados, aperfeiçoe seu método, mas não o abandone. Conserte o que não funciona e melhore o que está funcionando. Mas é importante ter foco. Não fique pulando de galho em galho. Quem faz isso acaba não concluindo nada.

Agouro não traz tesouro

correr atrásNão dê ouvidos aos pessimistas, aos agourentos, aos que sempre acham que nada vai dar certo. Estes nunca conseguem realizar nada. Ou então são invejosos, que torcem para que nada dê certo para os outros. Cerque-se de pessoas otimistas e empreendedoras. Ouça o que elas têm a dizer. Aprenda com elas. Busque motivação. Muito importante: ande sempre em companhia de pessoas que sabem mais do que você.

No empreendedorismo digital há uma receita básica: em vez de trocar o tempo por dinheiro, faça o tempo que você utilizou para produzir determinado trabalho ou produto resultar em dinheiro por muito mais tempo do que aquele utilizado para realizar o trabalho. Quando você tem um emprego, está trocando tempo por dinheiro: para ganhar mais, você tem sempre que trabalhar mais horas. No empreendedorismo você tem que buscar alternativas que passem a render por algo que você fez, e que continue rendendo por muito tempo. Ou até por toda a vida. É a chamada renda perpétua.


Ampliar e perpetuar ganhos

Se você leva 20 ou 30 dias para estruturar um curso, por exemplo, você tem que acionar os mecanismos que levem esse curso a render o máximo para você: vendê-lo da melhor forma possível, usando técnicas de marketing, de modo a conseguir que ele se transforme numa fonte de renda pelo maior tempo possível. Você já fez o trabalho; agora, garanta os resultados.

É diferente de ter um emprego. Quando você deixa o emprego, ele para de render para você. Ao contrário disso, quando você estrutura um curso, se toda estrutura já está construída, ele tem que passar a render sempre. É lógico que você pode (e deve) aperfeiçoar permanentemente esse curso ou esse produto, mas o objetivo – logicamente – é ampliar ainda mais os ganhos financeiros a partir desse empreendimento.

Conhecimento tem que gerar resultados

Tenha em mente também que você não pode ser um eterno aluno que se limita apenas a aprender, aprender, aprender, e não empreende nunca. Use o que você já resultadossabe para começar a colocar em prática. Coloque o seu conhecimento para dar resultado. Isso não significa parar de aprender. O aprendizado e o aperfeiçoamento devem ser constantes. Mas, se você aprende e não executa, não adianta nada. Se você tem um grande conhecimento e esse conhecimento não resulta em nada a seu favor, você não estará conquistando o objetivo para o qual gerou esse conhecimento.

Em resumo: aprenda. E faça! Se você ficar esperando eternamente atingir a perfeição, não está querendo ser um empreendedor. Está querendo ser Deus. E isso é para poucos (risos).

Envie seu comentário:

Você também pode gostar: