Saúde não depende de farmácia

Thumb Saúde não depende de farmácia

Existe uma máxima que diz mais ou menos o seguinte: “Se você não arranjar tempo para cuidar da sua saúde, vai ter que arranjar tempo para cuidar da sua doença”.

Porque a maioria das pessoas só pensa na saúde depois que aparece a doença. E aí corre para as drogarias para comprar remédios.

A melhor opção para cuidar da doença chama-se prevenir. E esse é um dos maiores problemas não só no Brasil como em muitos países.

E não estamos falando apenas em medicina preventiva, mas em hábitos preventivos.
Saúde

O fato é que existe uma forma bem simples de evitar as doenças: adotar hábitos saudáveis.

Isto não significa abdicar do prazer à mesa, mas sobretudo de educar o paladar desde cedo, para habituar-se a uma alimentação com o que há de melhor que a Natureza nos proporciona.

Hoje vivemos num mundo em que os pobres morrem de fome e os ricos morrem de tanto comer. E quantidade evidentemente não é sinônimo de qualidade.

Os índices de obesidade estão acima dos limites em muitos países e o diabetes é um mal que acomete grande parte da população, até em idade muito longe do que se possa chamar de velhice.

Nosso foco é apresentar soluções naturais que estão ao alcance de todos.

Você sabia, para citar apenas alguns exemplos, que cebola e alho são excelentes alimentos com potencial de antibióticos? E que brócolis previne o câncer?

Agora, confesse: quantos pais e mães você conhece que cultivam os bons hábitos alimentares dos filhos desde que eles nascem? Provavelmente nenhum.

O consumo de refrigerantes e de frituras é enorme e os sanduíches envenenados junto com batatas fritas tomaram de uma vez por todas o lugar de uma refeição saudável.
Caso fosse um hábito para de vez em quando já teria que inspirar cuidados e moderação. Mas o fato é que transformá-los até no almoço do dia a dia é que se tornou habitual.

Aqui vamos cuidar de alertar você sobre a importância de uma alimentação saudável, da prática de exercícios regulares e da atenção permanente para não cair nas armadilhas das indústrias farmacêutica e “alimentícia”, que vivem da doença num mundo repleto de doentes cardíacos.

Ainda assim, tudo o que você lê ou ouve merece um crivo rigoroso, porque há muita gente enganando e se aproveitando do desconhecimento e da falta de informação da população.

E lembre-se de algo fundamental: muitos médicos transformaram-se em “passadores de receita médica”, porque grande parte deles não tem sequer noção de nutrologia.

Então, nosso primeiro conselho é o seguinte: não ouça só o médico, mas também um nutrólogo de sua confiança. E se o profissional tiver as duas formações, melhor ainda.

Boa saúde, e visite-nos sempre.

Envie seu comentário:

Você também pode gostar: