Ser mulher, o que é

Thumb Ser mulher, o que é

Ser magra é fundamental ou preferencial? Segundo a velha frase do poetinha (Vinicius de Morais), o que é fundamental é ser bela. Mas há muitas formas de ser bela. Ser magra, bela e com saúde pode ser tudo. Mas o fundamental é ter saúde.

Sejamos verdadeiros: o conceito de beleza é subjetivo, pois a sabedoria popular bem nos diz: “Quem ama o feio, bonito lhe parece”.

Ser magra depende da época em que se vive. Basta olhar a história: mulher corpulenta já esteve muito na moda e provocava frenesi. E em todas as épocas há gosto para todos os estilos.

Gosto é o que não falta

Tudo depende também do país, não só em relação ao peso na balança como às características físicas. O homem norte-americano aprecia seios grandes. No Brasil o que chama a atenção é o famoso bum bum.

Mas é essencial reconhecer que algo que nunca pode estar na moda é ser escrava da beleza ou da magreza. A atualidade está cheia de exemplos: pessoas que se escravizaram aos padrões de magreza e acabaram sucumbindo a tal ponto de cederem a própria vida.

E politicamente falando?

O mundo muda constantemente. E com as mulheres não poderia ser diferente. É lógico que ainda existem mulheres excessivamente vaidosas. Mas as ditas mulheres mais engajadas consideram praticamente uma ofensa ressaltar o lado feminino apenas pela beleza sem levar em conta (ou até dar mais destaque) à inteligência.

Isso fez nascer e se fortalecer a era do politicamente correto. Posição da mulher na sociedade, machismo, racismo, repúdio à chamada cultura do estupro ganham destaque, mas ainda provocam discussão num país ainda prisioneiro de preconceitos.

Evidentemente é  preocupante e desanimador constatar que ainda existe quem atribua à vítima a culpa pelo estupro. Ou que se teime em negar que o racismo, infelizmente, ainda é uma realidade. Isso tudo apesar do amplo noticiário comprovando que fatos desalentadores ainda estão presentes na vida nacional. E, lógico, também no cenário internacional.

À mulher, a palavra

Engajamento político, disputa no mercado de trabalho, liderança e respeito à mulher estão entre os inúmeros temas em pauta.

A proposta do item Mulher, no menu principal deste blog, é deixar que elas se expressem ao máximo. Participação é a palavra da vez. Aliás, sempre será. Propor pautas, abordagens e até apresentar artigos para publicação (desde que acompanhados da devida autorização) compõem o nosso lema para transformar a mulher na legítima dona deste espaço.

Não se trata, evidentemente, de transformar isso num Clube da Luluzinha (quem ainda se lembra?). Não haverá bloqueio ou censura ao direito legítimo dos homens de também se expressarem. Desde que, é lógico, o façam com respeito e em linguagem apropriada.

Diálogo é fundamental

É lógico que o tema Mulher sempre está presente nas conversas entre os homens. Mas é necessário e até fundamental, é lógico, deixar que a mulher fale também sobre…mulher. Aos homens, neste espaço, não cabe assumirem o papel principal. Mas podem subir ao palco para se expressarem, sempre lembrando que o tema é… Mulher.

Também no quesito politicamente correto não deve haver exagero. Quem pode ignorar que a beleza feminina seduz? Quem é capaz de considerar impossível sentir-se atraído pelo belo corpo ou pelo belo rosto de uma mulher? Vulgaridade tem que ficar de fora. Mas hipocrisia também.

Os canais de expressão estão visíveis no próprio blog. Evidentemente, tudo o que chegar será submetido a uma avaliação prévia, para evitar possíveis exageros ou exacerbações. Mas, removidas as eventuais inconveniências, o espaço está aberto. Portanto, participe!!!

Envie seu comentário:

Você também pode gostar:



Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE